SOBRE O CORONAVÍRUS

O QUE É O CORONA VÍRUS?

O coronavírus pertence à família de vírus chamada Coronaviridae e recebem esse nome porque têm em sua membrana picos projetados que se assemelham à coroa do sol. Eles podem infectar animais e pessoas e causar doenças do trato respiratório, que vão desde o resfriado comum até condições graves como a Síndrome Respiratória do Oriente Médico (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS).

 

A doença foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na província de Hubei, Republica Popular da China, em primeiro de dezembro de 2019.  Em 11 de março de 2020, a Organização mundial de saúde declarou o surto uma pandemia.

 

TRANSMISSÃO

Diferente da origem do coronavírus, que apenas transmitia de animal para pessoa, ele sofreu uma mutação e a COVID-19 começou a ter contaminação de pessoa a pessoa. Essa transmissão ocorre via:

·   Tosse.

·   Gotículas de saliva.

·   Espirro.

·   Catarro.

·   Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com boca, nariz ou olhos.

·   Contato com objetos contaminados

O vírus fica circulando no ar, através de gotículas respiratórias, em média de 3 horas. Depois disso ele pode precipitar e ficar em superfície, podendo sobreviver aí por até 9 dias.

Contudo, já se sabe que o vírus apresenta uma transmissão semelhante a do que o vírus da gripe, mas que ele pode ficar incubado por suas semanas, sem apresentar sintomas. Ou seja, uma pessoa que tem o COVID-19 pode estar liberando e contaminando outra pessoa duas semanas antes dela mesma começar a apresentar sintomas da doença.

TRATAMENTO

Ainda não há tratamentos específicos para combater as infecções causadas pelo vírus até o momento que foi escrito esse artigo (20/03/2020). Assim  a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os países redobrem a atenção em relação à saúde dos viajantes.

Contudo, durante o tratamento no hospital, algumas recomendações são feitas para os infectados com a doença. São elas:

·   Repouso

·   Quarentena

·   Beber bastante água, média de 2 litros por dia

·   Uso de medicamentos para dor e febre para aliviar as dores, evitando os antinflamatórios, principalmente o Ibuprofeno.

Os pacientes que evoluem com quadros respiratórios graves deverão realizar tomografia computadorizada e serão ser internados em UTI, provavelmente necessitando do uso de aparelhos para respirar.

 

CONFIRA COMO EVITAR A CONTAMINAÇÃO PELO CORONAVÍRUS

O foco é diminuir a velocidade com que a epidemia se alastra, pois se um grande número de pessoas for infectado simultaneamente os serviços de saúde não serão capazes de absorver toda a demanda e a saúde entrará em colapso.

·   Manter os ambientes bem ventilados.

·   Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas.

·   Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente.

·   Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.

·   Higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

·   Evitar contato próximo com animais selvagens, bem como com animais doentes em fazendas ou criações.

·   Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca.

·   Utilizar lenço descartável para higiene nasal.

·   Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

·   Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.

·   Não deixe de se vacinar para outras viroses: um indivíduo com coronavírus infecta três saudáveis, um individuo com H1N1 infecta dois saudáveis e um individuo com sarampo infecta 15 não vacinados.

SINTOMAS

Os sintomas do COVID-19 são parecidos com os da gripe:

·   Dificuldade de respirar

·   Coriza

·   Tosse

·   Dor de garganta

·   Febre

Entretanto, 25% das pessoas serão assintomáticos e 70% terão um quadro gripal brando (resfriado comum), mas todas poderão transmitir o vírus. A possibilidade de quadro respiratório grave ocorre em 4,8% dos acometidos (de cada 100 pessoas que pega o coronavírus, apenas cinco terão um quadro grave).

 

Os grupos de maior risco são idosos e crianças, que podem desenvolver doenças mais graves como pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, falha renal e morte, ao serem contaminadas com o vírus.